Doutrina Umbanda

Voltando ao Terreiro

 

Saudações leitores e irmãos de fé.

Aqui quem vos fala é o neófito, com novidades, afinal, visitei o meu primeiro terreiro na cidade nova.

Bem meus caros irmãos, como havia dito, voltei a procurar alguns locais para frequentar, vestir branco dependo da ordem dos meus mentores, porém, ser consulente, não tem nenhum problema, não é mesmo?

Eis que visitei uma casa muito bacana em Campinas, extremamente acolhedora, coincidentemente uma casa enorme, por volta de sessenta filhos e uma assistência cuja a senha alcançava o número 99. Chegando no local, um galpão grande, com uma bela placa na frente dizendo o nome dos patronos daquele terreiro e o estacionamento CHEIO de carros, eu e minha mulher ficamos até assustados com o movimento massivo de pessoas naquele lugar, o que para mim, é de certa forma, um bom sinal, a casa é próspera e bem atraente, não é mesmo?

Depois de uma fila de quase 40 minutos para retirada de senha, sentamos e esperamos os trabalhos começarem, o centro oferece um pequeno balcão com salgados a disposição de compra, com excelente aparência, não provei porque estou retirando qualquer carboidrato da alimentação momentaneamente, mas isso não é o foco do artigo, qualquer dúvida, vocês têm o meu e-mail. 😉

Uma coisa que eu sou extremamente observador, a forma que os filhos da casa e os responsáveis pela recepção nos recebem, e isso é nota 1000, pessoas extremamente simpáticas, receptivas, altruístas e isso para mim é um grande ponto a favor, diferente dessa falsa caridade que vemos em muitos centros de Umbanda, que as pessoas não possuem a CAPACIDADE de sequer te saudar.

Enfim, abertura dos trabalhos, linha de exus (Para deixar a volta ainda mais perigosa), a curimba é excelente, o pessoal toca demais, confesso não ter gostado muito das vozes (muitas vezes ficava confuso), mas o toque da casa é esplendoroso e a assistência inteira cantando batendo palmas foi de arrepiar, mais que 100 pessoas cantando ponto em uníssono só confirmou a coesão da casa, tanto da assistência quanto dos médiuns em questão, os pontos de abertura correndo solto, tudo mundo batendo palmas contagiando até a minha filhinha de dois anos, batendo palmas e dançando, e sim, a abertura foi muito, mas muito boa.

NA hora das incorporações também algo que eu observo demais e achei um primor nessa casa, a organização da incorporação dos médiuns, não só no aspecto de cada um ter a sua vez, mas a facilidade com que o guia chegava, sem jogar o filho no conga, no atabaque, na assistência, os dirigentes do centro também não são daqueles que precisam rodar o maldito barracão inteiro pra chamar a atenção e mostrar que querem incorporar, a objetividade, eficiência e foco desse centro realmente me atraiu de forma espetacular.

Depois das entidades incorporarem, obviamente leva um tempo considerável pela quantidade de filhos na casa, também me chamou a atenção da MUDANÇA TOTAL da linguagem corporal de um dos dirigentes, que já era bem senhor, porém, sua postura, linguagem corporal e aspecto facial mudou totalmente permanecendo-se em pé DURANTE TODO O TRABALHO que durou um pouco mais que quatro horas.

A postura das pomba-giras e exús também merecem destaque, pela educação e pelo charme das pomba-giras, os pontos são totalmente leves, diferentes daqueles que Maria Padilha dá para 5, que ser p… é uma delícia e assim por diante, enfim, a postura das entidades foi MAGNÍFICA. Obviamente eram charmosas, dançavam muito, mudavam totalmente suas médiuns, mas eram pomba-giras, e não meretrizes como muitas médiuns se transvestem quando estão sob a MENOR DAS IRRADIAÇÕES.

Eu sinceramente fiquei extasiado, maravilhado por ainda existir casas sérias, que seguem a cartilha, que seguem com afinco o objetivo da prática da caridade, obviamente não faço parte do corpo mediúnico e sem dúvidas, existem os problemas, também lógico que foi a minha primeira visita, mas das casas que eu fui nos últimos 3 anos, e sem o menor erro, ultrapassa as 3 dezenas, essa foi a que realmente me encantou, essa ao menos conseguiu chamar minha atenção e querer voltar, assistir, conhecer.

As consultas são totalmente organizadas, e aí SIM, vamos às consultas:

– Minha esposa: Ela adorou, além do exú ter acertado tudo o que se passava na vida dela, contribuiu, OU SEJA, gente, prestem atenção: O exú que nunca a viu, nem tampouco o seu médium também a conhece (Assim espero, rs), porque somos novos na cidade, contou coisas que acontecem com ela, quais os pontos fracos e fortes dela e não coisas óbvias como: “Você tem problema na família”, “No seu trabalho tem alguém que tem inveja de você”, “Olha moça, fizeram um trabalho pra você”, sabem essas coisas fúteis, vazias e totalmente especuladoras? Não, ele foi EXATO, específico na consulta e FELIZMENTE vejo que ainda existem MEDIUNS BONS E FIRMES. A consulta foi como deveria ser: Contou o que se passava, onde ela errava e como melhorar, diferente de outros guias que só vão dar sermões infundados ou repetitivos.

– Minha consulta: O exú disse que queria mais pessoas como eu, porque eu não fui ali pedir nada, só queria descarregar (E realmente, nunca peço nada, só vou para pedir limpeza). Falou o tempo que estou de férias (Dos trabalhos espirituais) e que eu preciso DESACELERAR, sim, porque estou com cinco projetos em andamento e ele disse para eu focar.

O trabalho foi ótimo, leve, a luz meio acesa, o que eu gosto muito do que trabalhar naquela escuridão, as duas crianças que estavam lá, estavam bem. Alguns trabalhos com esquerda as crianças ficam com medo, ficam apavoradas, não foi o caso, foi um trabalho de esquerda, mas como qualquer outro trabalho de Umbanda, limpo, objetivo e leve. Sem aquela quebração de garrafas, sem aquele alvoroço e sujeira.

Não bastasse as pessoas serem acolhedoras, a casa ter uma energia e uma coesão assistência-corpo mediúnico fantástica, a consulta ainda foi ótima!!!

Confesso que minha primeira impressão foi das melhores, mas como disse, é a primeira vez e não conheço como um todo, mas diferente de dezenas de casas no passado, essa me atraiu muito, e casas assim fazem jus pelo tamanho.

Ah, e não tem esse tanto de gente porque ministram cursinhos de iniciação, que tem cursos que tudo é pago, eu entrevistei alguns assistentes, ali é CARIDADE e não forma ILÍCITA de ganhar dinheiro. Além do centro ser maravilhoso e ser ausente de tudo isso, não tem nenhum certificado ou diploma de lugar nenhum que os certificam como dirigentes e sim a própria espiritualidade, e sem dúvidas, um centro organizado dessa forma, não necessito pedir credenciais.

Conhecimento Divino é DADO e não PAGO, lembrem-se disso.

Feliz e saltitante.

Neófito da Luz.

Leia Também..

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: